segunda-feira, 24 de abril de 2017

Cidade é invadida por forte odor

Em plena manhã de segunda feira, 24/04, a cidade de Imperatriz foi invadida por um forte odor, que parecia lama de esgoto, fato que causou incômodo aos seus habitantes.
O mau cheiro foi sentido em toda a extensão do município, principalmente nos bairros Santa Rita, Nova Imperatriz, Centro e outras localidades, como Vila Lobão, Vila Redenção, Jardim Cinco Estrelas entre outros.
Logo após sentir o mau cheiro forte que invadiu diversos pontos da cidade, populares se manifestaram dizendo que sentiram até náuseas devido a fedentina, que não é a primeira vez que o fato acontece.
No mês de outubro do ano passado, a dona de casa, Isabel Maria, mais conhecida como “Belinha”, moradora do estado do Tocantins, disse também que sentiu um forte odor. Segundo ela, pensou que fosse gás de cozinha, mas não era.
Com o objetivo de localizar a origem do odor desagradável, a secretaria de Meio Ambiente constatou de onde estava saindo aquele mau cheiro que invadiu a cidade, gerou desconforto e uma série de comentários maldosos e desagradáveis era oriundo da indústria de papel e celulose Suzano.
Segundo informaram, estava sendo feito manipulação de um produto e, por um erro foi lançado na atmosfera e consequentemente o vento trouxe esse mau cheiro para a cidade.


domingo, 22 de janeiro de 2017

Professora Natividade concorre a uma cadeira na AIL


A professora Maria Natividade Silva concorre a uma das cadeiras de imortal na AIL - Academia Imperatrizense de Letras, ocupadas anteriormente pela escritora Neneca Mota Melo e professor doutor João Renôr Ferreira de Carvalho, falecidos recentemente. A eleição acontece no próximo dia 25 de agosto, na sede da própria Academia. 
Maria Natividade Silva Rodrigues é professora, graduada em História (UEMA) e Ciências Sociais (UFMA). Tem especialização em História do Brasil-PUC-MINAS e Mestrado em Ciências Sociais (UFMA).  
Segundo ela, sempre teve em mente que os professores exercem um papel insubstituível no processo da transformação social, por isso exerce a profissão há vinte anos com experiências nas redes particular e pública. Foi professora contratada na UEMA, campos de Imperatriz, (2008); 2014-2015). Atualmente é professora do Centro de Ensino Henrique de La Rocque, em João Lisboa sua cidade natal. 
Sua trajetória com os movimentos sociais começou cedo, ainda na adolescência com os grupos da Pastoral da Juventude, e anos mais tarde com a Cáritas Brasileira, onde foi agente durante 12 anos. Na instituição foi coordenadora da linha Políticas de Gênero, criando assim o primeiro grupo de estudos da temática, em parceria com o MEB (Movimento de Educação e Base).  
Frequentemente ela é convidada para palestras em várias instituições, com temas: educação, gênero, relações étnicas e violência. Segundo ela, devido a isso, tem se tornado uma estudiosa das obras de Stuart Hall, Pierre Bourdieu, Michel Foucault, Emile Durkheim, K.Munanga entre outros. 
É membro do Centro de Cultura Negra “Negro Cosme” desde a sua fundação, e trabalha a temática em projetos educacionais com pesquisas e artigos sobre a temática. Além disso, há 12 anos faz um trabalho com idosos, onde foi criado o Centro da Melhor Idade “Dom Affonso”. 
Em 2006, Natividade elaborou a proposta de criação do Dia Municipal de Combate a Violência Sexual contra a Criança e o Adolescente em João Lisboa, proposta essa que foi apresentada à Câmara Municipal por intermédio do então vereador Adão Portugal, a qual foi aprovada e sancionada pelo prefeito da época, Emiliano Menezes. 
Coordenou, também em João Lisboa os primeiros anos do PROERD (Programa de Combate à Violência e as Drogas), da Polícia Militar e desde 2006, por conta do seu trabalho social, que vai além do espaço escolar, tem uma coluna (EDUCA- AÇÃO) no Jornal Notícias Populares, um jornal periódico que circula nos municípios da região. 
Atualmente Maria Natividade coordena junto com a professora Nildete Miranda, o II Café Sociológico, que tem como tema “O conhecimento e suas sensações no espaço escolar”. 
Ela ressalta ainda a importância de sua participação nessa eleição devido a um convite que surgiu durante conversa com o padre Francisco Lima e Ariston, que fazem parte do corpo que compõe a Academia Imperatrizense de Letras. “Eles disseram que vão defender meu nome. São duas vagas”. 
Para ela, é uma tentativa de reconhecimento do valor literário. “Temos e não ligamos, mas estou recorrendo aos que me conhecem e falam bem de mim, inclusive ao poeta e ex-prefeito Dr. Sálvio Dino, que sei que me admira e fala da minha capacidade pra muita gente”, disse. Apesar de ter uma produção escrita, publicou pouco, (artigos) mas têm o lançamento agendado do seu livro para o próximo mês de outubro, que está sendo editado em São Paulo pela Paco Editorial. Projetos futuros para publicação: o livro sobre Mulheres de João Lisboa. 
Maria Natividade, em parceria com a Academia Imperatrizense de Letras está desenvolvendo um projeto da escola, vamos estudar alguns, montar um painel e fazer uma amostra pública na cidade. “Nosso café sociológico já chamou atenção do município. Vamos fazer uma proposta para Secretaria de Educação para adotar os paradidáticos dos escritores da região para conhecer as obras e escritores da Região que pouco se conhece. Aliás, nem vemos. E se o vemos não sabemos”, disse.Ela ressaltou ainda que só faz aquilo que acredita, por isso que está na educação, porque faz das suas palavras ações para melhorar meio ambiente. Ela acrescentou dizendo: “Vai valer a pena até para conhecer mais sobre mim e a importância do meu trabalho”, finalizou.

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Cidadão denunciou, MP acatou, juiz sentenciou e prefeito exonerou 101 marajás da prefeitura de Senador La Rocque

Em nossa edição nº 111, de Janeiro de 2014, a matéria cujo título “MP recebe denúncia sobre imoralidade na prefeitura de Senador La Rocque” relatou o conteúdo de uma representação feita na Promotoria Pública.
Essa representação, que foi feita por um cidadão indignado, que vendo os desmandos dos poderes públicos constituídos e uma grande quantidade de gente recebendo altos salários sem trabalhar teve a culminância agora com a decisão do juiz Paulo Vital Souto Montenegro.
E como tudo tem o tempo certo de acontecer, o MP acatou, o juiz sentenciou e agora no último dia 15/12/2014 o prefeito Francisco Nunes obedecendo o mandato de citação e intimação exonerou 101 dos 270 marajás da prefeitura de Senador La Rocque.
De acordo com o Inquerito Civil nº 03/2014-PJSLR, Ministério Público, o prefeito Francisco Nunes vem descumprindo a Lei de Responsabilidade Fiscal, conforme a certidão nº 4088/2014 TCE no exercício financeiro 2013, o município aplicou em despesas de pessoal o percentual de 69,1% da receita corrente líquida ultrapassando os 60% previsto no dispositivo do art 19 III LC nº 101/2000.
“Como se não bastasse, sai uma quadrilha que governou oito anos e renasce outra das cinzas com apenas dois anos”, disse o cidadão Gilmar Nascimento, enfatizando ainda que “no governo atual continua a imoralidade do governo passado”, onde centenas de pessoas ligadas ao prefeito, parentes, amigos de secretários recebem pagamentos de marajás, altos salários para ocupantes de cargos fantasmas, gerando um gasto mensal equivalente a R$ 312.499,70.
Enquanto isso, os servidores concursados do município convivem com constantes atrasos no pagamento de seus salários, que já ultrapassam dois meses sem receber, gerando uma situação incômoda a quem de fato precisa.
COMISSIONADOS E CONTRATADOS - Entre cargos comissionados e contratados ao todo são 270 funcionários, que, conforme a denúncia, o prefeito Francisco Nunes vinha utilizando-se da máquina pública para favorecer seus parentes e parentes de secretários.
Por conta disso, foram nomeados para cargos que sequer foram criados por lei e sendo remunerados pelo município, como no caso dos servidores Maria Erivalda de Sousa Martins e Raimundo Nonato Oliveira, que prestavam serviços na própria residência do prefeito.
Ainda de acordo com a denúncia, em relação aos 100 servidores contratados e os 18 comissionados da Secretaria de Saúde, levando em consideração as atribuições essenciais que exercem, ao serem exonerados, poderá gerar uma situação de calamidade no município.
Para evitar essa situação, não será determinada a exoneração imediata deles, entretanto, o juiz determina que o prefeito promova a criação de cargos e realize concurso público dentro de um prazo de seis meses para promover a devida substituição gradativa dos prestadores de serviços.
DIARIAS - Com relação as diárias para deslocamento para outras cidades, o secretário de Educação Ivaldo Costa Silva admitiu o recebimento de aproximadamente R$ 700 reais para participar de Congresso de Educação em Salvador-BA, mas não  compareceu ao evento (Fls 330).
Ainda com o fim de favorecer aliados, o prefeito Francisco Nunes efetivou a contratação precária e mantém no quadro funcional da municipalidade quase duas centenas de empregados sem prévia realização de concurso público conforme relatório constante da folha de pagamento da referência julho 2014 (fls 08/26600.
Esta forma de contratação precária não somente é inconstitucional para o fim do art 37 II CF, como pressupõe também descumprimento a cláusula do Termo de Ajustamento de Conduta que o prefeito firmou junto a Promotoria de Justiça.

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Por que votar em Dilma e não em Aécio


O último domingo 26 de outubro -- data de votação do segundo turno da eleição para escolha do novo presidente da República para os próximos quatro anos --, foi de intensa ansiedade, inquietação e receio de cometer injustiças.
Assim como de costume, acordei cedo, vestir minha melhor roupa, calcei meu melhor sapato, cumprimentei alguns vizinhos e sair para exercer meu dever cívico do dia, votar no 13, Dilma Roussef para continuar.
Durante meu trajeto, muitos me perguntaram: por que votar em Dilma Roussef e não em Aécio Neves? A resposta é simples: assim como a maioria da população voto em Dilma porque sou careta, tenho medo de mudanças, tenho medo do desconhecido.
As últimas 24 horas foram decisivas e decidi votar em Dilma porque revendo a história do Brasil dos últimos 12 anos, percebi que apesar de o PT ter sido o governo mais corrupto da história, reconheço que também houve avanços significativos na economia.
Portanto, contra fatos, não há argumentos. Não há como negar que o Brasil hoje é o país das oportunidades, que temos a melhor independência energética do mundo, a melhor tecnologia nuclear e petroleira da indústria mundial e nem se fala mais em dívida externa.
Nesse ínterim, percebi também que, julgar política morando em uma casa boa, com um carro novo na garagem, com filhos recebendo boa educação na rede privada, com comida farta diariamente na mesa é democrático, porém fácil até demais.
Quem quiser saber a importância do bolsa família, pergunte a uma mãe solteira que mora com os filhos no interior, pergunte também ao pequeno comerciante que vê, a cada 1,00 do bolsa família sendo devolvido para a economia.
Quem quiser saber a importância do ENEM, PROUNI, SISU, FIES e PRONATEC -- programas do Governo Federal --, tão criticados por simpatizantes do PSDB, pergunte a um jovem pobre que durante sua vida inteira ouviu dizer que universidade era coisa para filhos de ricos.
Quem quiser saber o valor do programa Ciência sem Fronteira pergunte ao mercado de trabalho, o que representa para o país cerca de 200 mil jovens brasileiros se formando em universidades internacionais todos os anos e retornando a seu país com o diploma na mão e sonho realizado.
Além disso, mesmo com problemas, as universidades públicas do país ainda são muito melhores que as particulares, basta comparar o desempenho dos estudantes dos cursos de medicina.
O povo precisa entender que democracia se faz com maioria e que o PT, esse partido tão criticado pelas elites teve a  maior votação nos estados do nordeste, no norte e ironicamente em Minas Gerais, estado do candidato adversário Aécio Neves.
Por tudo isso, decidi votar em Dilma 13 e torcer por esse povo que luta diariamente para que brasileiros pobres, negros e estudantes continuem como nos últimos 12 anos tendo vez e voz nesse país elitista e preconceituoso.

domingo, 26 de outubro de 2014

Promotoria Pública recebe denúncia contra prefeito de Senador La Rocque

A população de Senador La Rocque ainda aguarda parecer da Promotoria de Justiça sobre a denúncia recebida pelo promotor Carlos Augusto Ribeiro Barbosa sobre irregularidade na apresentação das contas da prefeitura municipal referentes ao exercício de 2013.
No último dia 10 de junho, o promotor de Justiça da Comarca de Senador La Rocque, Carlos Augusto Ribeiro Barbosa recebeu denúncia oferecida pelo eleitor Gilmar Nascimento dos Santos contra o prefeito de Senador La Rocque, Francisco Nunes da Silva.
De acordo com a denúncia, a prestação de contas referente ao ano 2013 encontra-se incompleta, faltando o Módulo I, que refere-se a Balanços Gerais e seus  componentes.
“Na prestação de contas está faltando os principais itens que consta no Modulo I, que trata-se do processo licitatório, Educação (MDE|FUNDEF e Ações e Serviços Públicos de Saúde”, disse Gilmar Nascimento em sua argumentação.
No seu entender, a prestação de contas, que cabe ao prefeito municipal encaminhar para a Câmara Municipal, na mesma data em que encaminha para o Tribunal de Contas do Estado, constitui obrigação legal estabelecida no art 31, inciso 2º, da Constituição Federal e nos arts 151, inciso 1º, e 158, inciso IX da Constituição Estadual, no art 82 da Lei nº 4.320/64 e no art 49 da LC nº 101/2000 – LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal).
Ainda de acordo com a denúncia, ao descumprir a lei, o prefeito será penalizado de acordo com a LRF - Lei de Responsabilidade Fiscal, por isso, o denunciante propõe ao promotor solicitar do gestor público os documentos referentes  a prestação de contas para  cessar as dúvidas sobre
Filiado ao PV, o prefeito Francisco Nunes foi eleito em 2012 com 5.622 votos, correspondente a  (48,97% dos votos válidos).

domingo, 29 de setembro de 2013

A esperança que virou medo em Senador La Rocque

Apenas sete meses se passaram, o governo mal começou, mas já se sabe como  será até o fim da administração do atual prefeito de Senador La Rocque, advogado Francisco Nunes da Silva (PV), que obteve 48,97% dos votos válidos.
“Esse foi um dos piores votos que dei em toda minha vida”, o desabafo é de um eleitor revoltado com a falta de compromisso que o atual prefeito Chico Nunes tem dispensado aos larroquenses nesses últimos meses.
O governo que era desejado como esperança de humanização e valorização de seus munícipes, suas primeiras ações tem sido de desvalorização e descaso do já tão sofrido e massacrado povo de Senador La Rocque.
Aterrorizados por ges-tões anteriores em seus direitos, a população apostou todas as fichas no discurso do herdeiro político do saudoso Alfredo Nunes, mas já começaram a pagar a conta por mais este engano. Já tem eleitor sentindo falta da gestão dos Oliveiras. 
Os adversários políticos que antes o chamavam de “Chico Nunca”, agora dizem na cidade que alguns pais de alunos o chamam de “Chico Abóbora”. Tudo isso porque, segundo eles, a merenda das escolas do município é servida apenas umas mistura de abóbora com alface.
“Os governantes de Senador La Rocque não têm respeito e responsabilidade, para com a população, porque prometem, prometem e não cumprem absolutamente nada”, disse nas redes sociais o estudante Francisco Sousa.
Por falta de uma ambulância e gente qualificada para o serviço, há poucos dias populares presenciaram uma cena triste. Por pouco, uma mulher em trabalho de parto não teve a criança dentro de um veículo a caminho do hospital regional de Imperatriz.
Na campanha política, foi prometido que logo no início do novo governo o Posto de Saúde do Cumaru seria beneficiado com uma ambulância e até agora nada. “Deveriam ter mais respeito com a população, que, enquanto isso, a população continua sofrendo porque estão usando e abusando do poder público”, disse ele.
Além disso, o que mais se fala é falta de combustível para transportar as pessoas que fazem hemodiálise nos hospitais de Imperatriz. Comenta-se também que ao ser questionado por populares, o prefeito disse que embora alguém faça a doação do combustível, o motorista não vai levar ninguém para a hemodiálise.
No campo esportivo, o diretor do Departamento Municipal de Esportes e Lazer, Sr Maradona confirmou a participação da Seleção de Futebol da cidade no Copão Maranhão do Sul por deter-minação do prefeito Chico Nunes.
Porém, depois de está tudo confirmado, inclusive, o município teve representante em algumas reuniões da Comissão Organizadora, o prefeito, através de ofício, resolveu cancelar participação da Seleção na competição.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

Lágrimas ainda correm pela saudade do “meu gatinho”

Na manhã do dia 13 de junho ele me deixou. Quando vi seu corpinho frágil estirado na calçada, não conseguir controlar as lágrimas, que caíram sem pedir licença. Naquele momento o que eu mais queria era poder trazer-lhe a vida e nunca mais o deixar em situação difícil.
Dizem que gatos têm sete vidas, mas o meu só precisava ter mais uma. Era suficiente pra mim. Ele ainda não tinha nome, mas eu o chamava de “neném”,“meu bebê” e “meu bibi”. Ele rapidamente atendia, as vezes contestava, mas geralmente obedecia.
Foi amor a primeira vista. Desde que o vi pela primeira vez, senti em meu coração um amor incondicional por aquele bichinho indefeso. Nos quase dois meses em que me sentia dona dele, ele me trouxe muita alegria. Jamais vou esquecer aquele andar elegante e seu jeito cativante.
Era meu companheiro. Estava comigo sempre nas horas de solidão. Nas noites de insônia eu sempre o acordava pra me fazer companhia. Outras vezes ele acordava e quando me via sozinha, se aproximava e de maneira discreta se aconchegava a meu lado.
Sempre pela manhã, enquanto estava na cozinha preparando o café, tropeçava sobre ele por querer insistentemente um pouco de atenção. Mas, enquanto eu não o pegava no colo e lhe fazia um carinho, ele não me deixava sossegada.
Assim como uma mãe que reconhece o choro do filho, eu reconhecia o “miau” dele.
Entre muitos gatos que convivem no mesmo ambiente, o miau do “meu gatinho” era especial. Era como se estivesse realmente me chamando. “Meu bibi” era muito esperto.
Algumas vezes o vi querer enfrentar gatos maiores e até cachorros. Quando isso acontecia, geralmente eu o segurava e cobria seus olhos pra não olhar de frente o inimigo, até se acalmar.
O que me deixa mais triste ainda é imaginar que, talvez sua má sorte tenha sido eu na vida dele. Talvez, se eu não o tivesse tirado de junto a seus irmãos, ainda estaria vivo, porque assim, jamais precisaria percorrer o caminho que lhe tirou a vida.